Como proteger a sua identidade enquanto viaja

Talvez não pense muito sobre isso ao planear as suas viagens, mas o roubo de identidade tornou-se numa das principais preocupações dos viajantes. Se por um lado os recentes desenvolvimentos tecnológicos simplificaram as nossas vidas, ao mesmo tempo também nos tornaram mais expostos à usurpação de identidade. Eis alguns conselhos para manter a sua identidade segura e a sua mente tranquila.

1. Evitar conexões de internet não seguras

Todos sabemos o quão difícil é encontrar acessos à Internet que não sejam públicos. Se essa for a sua única opção, abstenha-se de verificar a sua conta bancária, a sua caixa postal (especialmente a profissional) assim como toda e qualquer informação sensível em geral. Sempre que possível, use endereços HTTPS em vez de HTTP: o S equivale a "seguro", o que na prática significa que os seus dados são encriptados - ou seja, não identificáveis nem legíveis por terceiros. As extensões do navegador, como por exemplo o HTTPS Everywhere, fazem-no automaticamente. Em alternativa, pode também fazer o download de uma VPN, a qual produz o mesmo resultado (i.e. dados encriptados ao usar uma ligação pública à Internet). De qualquer das maneiras, e como medida mínima, deve apagar as cookies e o histórico de navegação quando se conectar a um provedor público de Wifi.

2. Proteger todos os dispositivos com uma palavra-passe

Pode parecer algo extremamente básico, mas adicionar uma palavra-passe pode realmente fazer a diferença. Roubar um telefone é muito mais fácil do que desbloqueá-lo (se não souber a palavra-passe): a maioria dos ladrões não são piratas informáticos do mais alto gabarito. Esta medida básica não impede que o seu telefone seja roubado, mas ao menos protege os seus dados.

3. Instalar um aplicativo de rastreamento de dispositivos no seu computador, smartphone ou tablet

Tais objetos estão particularmente expostos a roubos, pelo que se não o conseguir evitar, pelo menos pode saber onde se encontram de modo a recuperá-los. Um de que realmente gosto é o Prey: permite localizar até 3 dispositivos de forma grátis e está disponível para Android, iOS, Windows, Mac e Linux. É bastante simples, mas eficaz. Outros possibilitam tirar uma foto do ladrão e iniciar sessão à distância. Por favor, na eventualidade de experienciar semelhante situação, faça um favor a si mesmo e não visite o ladrão tentando criar uma sequela de um qualquer filme do Rambo - em vez disso, contacte a Polícia.

4. Consultar regularmente o extrato bancário

Quanto mais cedo se aperceber de que algo está errado e de que os seus dados pessoais foram usurpados, melhor. Não só porque poderá imediatamente bloquear as suas contas, mas também porque as autoridades terão maior probabilidade de apanhar os perpetradores. Mas lembre-se de efectuar as consultas apenas através de conexões seguras.

5. Alterar regularmente a palavra-passe e o código PIN

Em alguns casos, os ladrões de identidade aguardam várias semanas até que volte a casa e não esteja a prestar tanta atenção. Um truque simples para impedi-los de ter sucesso é mudar a palavra-passe e o código PIN cada vez antes de partir.

6. Evitar transportar certo tipo de documentos o tempo todo...

É de evitar transportar consigo o tempo todo documentos como sejam cheques, relatórios médicos e extratos bancários. Aplique o mesmo princípio também durante a sua viagem: ao deslocar-se a um concerto ou a um lugar sobrelotado no qual muito provavelmente se vai distrair, deixe todos os documentos de que realmente não precisa num lugar seguro.

7. ...mas ter sempre os essenciais à mão

Deixar documentos pessoais e intransmissíveis sem vigilância é a principal razão para o roubo de identidade. Não faça isso. Ponto final.

8. Prestar atenção às ATMs (caixas multibanco)

Os ladrões de identidade tornaram-se engenhosos o suficiente para inventar leitores de cartões que colocam nas caixas multibanco para ter acesso ao número do seu cartão e respectivo código PIN. Como tal, as caixas multibanco directamente instaladas nos Bancos são geralmente mais seguras do que as outras, pelo que as deve utilizar preferencialmente. E sabe aquela foto a sugerir que deve tapar o teclado numérico com a sua mão ao digitar o código PIN? - faça isso.

9. Verificar os comentários dos clientes ao reservar o hotel

Uma vez mais parece óbvio, mas a realidade é que a maioria dos roubos de identidade ocorre no lugar onde está hospedado para passar a noite. Efectue uma consulta rápida aos comentários dos anteriores clientes antes de reservar o seu quarto e não hesite em perguntar sobre as medidas de segurança: por exemplo, é melhor se for disponibilizado acesso a um cofre ou a um armário que possa bloquear com o seu próprio cadeado.

10. Fazer um acompanhamento geral depois de regressar

É aconselhável fazer uma verificação completa para certificar-se de que tudo está em ordem: actividade bancária, documentos, emails, seguro médico, contas... E o melhor mesmo é repetir todo o processo algumas semanas mais tarde: alguns estabelecimentos não operam em tempo real, o que significa que os resultados especialmente a nível digital, mas também em papel escrito, podem demorar mais a aparecer (por exemplo, o extrato bancário). Alguns ladrões estão cientes disso e aproveitam-se desse facto.

Sim, viajar acarreta certos riscos, mas não deixe de o fazer por medo - nem todas as pessoas são ladrões de identidade. Limite-se a usar senso comum e a tomar algumas precauções básicas e tudo correrá pelo melhor.
Subscreva a nossa newsletter para obter mais informações úteis sobre viagens!