Quais os principais motivos para os atrasos nos voos?

Ao perguntar pelo motivo para o atraso ou cancelamento do seu voo, é muito provável que obtenha a mítica resposta: "motivos operacionais", já que a mesma é invariavelmente usada como justificação qualquer que seja o real motivo para a anomalia no voo. Não seria bom se todos nós a pudéssemos usar de igual modo nas nossas distintas actividades profissionais?

Na realidade, atrasos e interrupções nos voos são algo relativamente natural dada a multiplicidade de factores envolvidos na operação e manutenção de um avião comercial. Nesse sentido, eis os principais.

Tráfego aéreo

Desde os anos 80 aos dias de hoje, o tráfego aéreo passou de meio bilião para mais de 3 biliões de passageiros ao ano. Isso equivale a muitos aviões e a uma enorme quantidade de tráfego aéreo. Isso é ainda mais visível em algumas das cidades mais movimentadas do mundo, como p.e. Nova Iorque, Londres ou Paris. Para além disso, os voos mais longos incluem mais restrições e regulamentos, o que muitas vezes obriga as companhias aéreas a ter de alterar as suas rotas no último instante devido a condições meteorológicas e / ou congestionamento de tráfego. E tal facto complica ainda mais a situação já que as companhias aéreas se regem por princípios de rentabilidade e como tal tentam sempre optimizar os gastos em termos de uso de combustível.
A infra-estrutura é outro problema: certas regiões do mundo não têm a mesma cobertura de radar que a Europa ou os Estados Unidos. Isso obriga os controladores de tráfego aéreo a exigir um maior período de tempo entre descolagens e aterragens de modo a garantir a segurança de todos os intervenientes, o que muito facilmente pode causar atrasos em cadeia nos voos.

Problemas Técnicos

Provavelmente acha inacreditável que, neste anúncio da Emirates, a Jennifer Aniston esteja a beber uma bebida no bar de um A380 em pleno voo, ao passo que as suas férias há muito planeadas e reservadas tenham começado com um atraso nocturno devido a uma falha no motor da aeronave. A verdade é que, ainda que a tecnologia tenha avançado, os problemas técnicos continuam a ocorrer. E cada um desses problemas necessita ser registado e tratado de acordo com o protocolo, porque "a segurança está em primeiro lugar". No entanto, e ainda que as companhias aéreas tentem convencê-lo do contrário enfatizando a questão da segurança, a verdade é que as mesmas não estão isentas do pagamento de uma compensação aquando de um problema técnico com o avião.

Normas de descanso da tripulação de bordo

As normas foram estabelecidas de modo a garantir que à tripulação de bordo (pilotos, comissários e assistentes de bordo) é dado o tempo necessário para descansar antes de operar o voo seguinte. Muitas vezes a tripulação pode esgotar o máximo do tempo permitido em voo por causa de dificuldades relativas a programação ou atrasos de rotação (atraso causado por um voo anterior), o que forçará o avião a aterrar. Uma vez mais, tal facto não isenta a companhia aérea do pagamento de uma compensação, já que é da sua responsabilidade garantir que todos os requisitos relativos ao descanso da tripulação estão reunidos antes do voo.

Passageiros

Os passageiros podem também eles ser os causadores do atraso de um voo. Quando você ouve o funcionário do aeroporto chamar pelo Sr. João no intercomunicador três vezes seguidas, não é porque a companhia aérea esteja preocupada com o seu bem-estar ou porque lhe queira dar uma segunda oportunidade para apanhar o voo. A questão é que quando os passageiros registam a sua bagagem, mas não comparecem no portão de embarque à hora exigida, a companhia aérea tem de localizar e descarregar a bagagem (requisito de segurança em quase todos os países).
O comportamento dos passageiros e questões de saúde são outros dos motivos que podem facilmente causar um atraso num voo. Recentemente, um voo da Ryanair entre Londres e Bratislava sofreu um atraso devido ao facto de que um grupo indivíduos, que se deslocavam para uma despedida de solteiro, terem começado a lutar entre si depois de terem ingerido quantidades consideráveis de álcool. As autoridades tentam combater semelhantes comportamentos através da aplicação de pesadas multas - neste caso, cada elemento do grupo foi multado em 20.000£.

Condições meteorológicas

Por alguma razão as companhias de seguros as apelidam de "acto divino" - não há muito que se possa fazer quando sucedem. As normas sobre como agir em caso de condições meteorológicas adversas diferem de acordo com o aeroporto e geralmente são determinadas pelos órgãos reguladores nacionais. Os atrasos devido a condições meteorológicas adversas são muito mais frequentes do que possa imaginar e não ocorrem somente no Inverno.

Inevitavelmente, mais cedo ou mais tarde, um dos seus voos sofrerá um atraso. Sabe o que tem de fazer se isso acontecer?